quarta-feira, 24 de abril de 2013

DANÇA x EXPRESSÃO CORPORAL


DANÇA 

A dança é uma forma de autoconhecimento, educação da sensibilidade e forma de comunicação. Movimentando o corpo estabelece-se uma íntima relação com a expressão corporal porque é o corpo e os movimentos são seus meios de expressão.

Mas, há uma diferença fundamental entre dança e expressão corporal. Na dança, as academias estão preocupadas com a formação do profissional. Seus cursos estão calcados nas metodologias, nos processos de ensino-aprendizagens, discutem o campo crítico-reflexivo. Em outras palavras a dança está mais ligada a um caráter sério e técnico pautado em fundamentos teórico e que não dá espaço para a ludicidade.



Já na Expressão Corporal o que se vê é mais um “brincar” com o corpo de onde não se descarta a linguagem, as sensações, os sentimentos e pensamentos realizados com ele. (STOKOE E HARF,1987)



Segundo BRIKMAN (1989), a Expressão Corporal desempenha e amplia todas as possibilidades humanas. Possibilidades que trazem o conhecimento pessoal e individual, dando ao corpo a oportunidade de manifestar suas experiências e vivências do cotidiano e da arte.

Podemos dizer que, nas danças do final do século XIX para os dias de hoje, existe  uma preocupação maior com a consciência do movimento. Para atingir esta consciência utiliza técnicas diferenciadas da dança clássica. Uma técnica onde a expressão corporal descreve um resumo denso e breve do cotidiano, do cultural, das necessidades e desejos humanos e bem menos do irreal e do imaginário.

As danças atuais já não privilegiam o bailarino por seu virtuosismo, mas iguala a todos no mesmo patamar quando a dança é feita por um grupo. O  ambiente em que elas acontecem não são somente os palcos dos grandes e imponentes teatros, mas acontecem também nas ruas, praças, galerias, shopping centers, estações de metrô etc. Os movimentos não são os padronizados pelas danças clássicas, são mais leves e soltos, pois estimulam a criação, as pesquisas sobre novos movimentos e novas possibilidades de realização. Mas, tanto umas como as outras são estéticas, ou seja, o belo sempre está presente.

Uma dança (clássica ou expressiva corporal) nunca está pronta. Sempre há espaço para a criatividade, para uma expressão interior, para um novo sentimento ou pensamento impresso num movimento. E este está repleto da contribuição pessoal. Então, passa a ser único, original e criativo.

fontes:
BRIKMAN, Lola. A linguagem do movimento corporal. São Paulo: Summus, 1989.
STOKOE, Patrícia. Expressão Corporal na pré-escola. Patrícia Stokoe, Rut Harf; Tradução de Beatriz A. Cannabrava.  SP: Summus, 1987.

3 comentários:

OBRIGADA PELA VISITA.

Espero que tenha encontrado o que precisava, tenha gostado do que encontrou e que volte muitas outras vezes. Ficarei muito feliz se você deixar um recadinho para mim.