segunda-feira, 18 de junho de 2018

IDEIAS PARA RECICLAR GARRAFAS

Hoje trago para vocês mais uma ideia de reciclagem: desta vez com aquelas garrafas de vinho que achamos bonita pela forma ou pela cor.

Para quem gosta de ter a casa bem estilosa e charmosa estas garrafas caem bem.  Basta colar massa de biscuit fina e improvisar umas flores estilizadas deixando uma parte da  transparência do vidro a mostra. Fica muito legal numa sala de estar. Uma pintura e pronto.  E nem precisa flores.  

A segunda, um banho de tinta fosca por baixo e folhas´pintadas com tinta metalizada e pronto. Para o brilho final, uma ou duas demãos de verniz, e lá está ela toda pomposa, chamando a atenção de todos pelo seu estilo e graciosidade.



E estas, então? Uma demão de tinta spray, uma decoupagem e pronto. Como ficam graciosas!
 
Se você prefere um estilo mais rústico, mas bonito, vejam estas: Enrolando um fio de cor neutra, e enfeitando com laços finos e flores de tecido rosa bebê (encontradas em qualquer loja)  ou como na outra foto, com ramos de flores ou de uvas em tons mais fortes, também ficam uma graça!

  

Se você gosta de coisas rusticas e que chamam a atenção, que tal este outro par de garrafas. As primeiras formam um conjunto inseparável. Basta enrolar um fio com duas cores neutras, forme alguns detalhes e com o próprio fio faça as flores (em forma de alças), cole e pronto. Faça um pompom para o alto do gargalo, tiras do próprio fio enrolado e está formada esta dupla dinâmica.

A outra é um "arraso"! E muito fácil de fazer. Sabe aquela camiseta que já está tão surrada que você já pensou em jogar fora? Use-a aqui. Recorte-a formando um retângulo da parte debaixo da camiseta. 

Prepare uma boa quantidade de cola e a coloque dentro, misturando bem para que fique bem impregnada de cola. Depois enrole-a na garrafa debaixo para cima e quando terminar, deixe secar. Quando estiver bem seca, cole flores (de papel, com massa de biscuit ou compre um arranjo em lojas que vendam flores artificiais) e cole-as a seu gosto. 

Espere secar a cola e com uma tinta spray preta e fosca, pinte tudo, incluindo as flores. Aguarde a secagem da tinta. Por fim, com tinta acrílica na cor que desejar, aplique uma demão de pintura seca (muito fácil: pouca tinta no pincel, tire o excesso sobre um jornal e aplique na peça toda e nas flores também. 

 

Gostaram destas ideias? Veja mais na próxima postagem.

terça-feira, 12 de junho de 2018

COMO RECICLAR TOALHINHAS DE CROCHÊ?


Que tal reciclar aquelas toalhinhas de crochê que aparecem nos guardados e que eram das vovós, bisavós ou tataravós? Ou aquelas que você fez há muito tempo atrás e que você tanto gosta?

Com essas podemos fazer lindos quadros e ainda preservamos a nossa memória afetiva dessas pessoas tão queridas de nossas famílias.

Vejam como ficam charmosos! Para fazê-los basta colá-los numa tela. A primeira foto as toalhinhas de crochê são de um jogo.


Mas se o jogo não estiver completo ou tiverem modelos, pontos ou cores diferentes não tem importância, porque ficam até mais bonitos.

Você pode ainda fazer quadrinhos individuais com toalhinhas diferentes para cobrir uma parede. Você ainda pode recortar os pedaços que estiverem desmanchados ou manchados pelo uso e pelo tempo e aproveitar as partes boas. Veja como ficam lindos!


Se quiser ainda pode aproveitar quadrados de uma colcha velha para pendurá-los em forma de flâmulas criando um efeito decorativo muito legal.


Ou separar uma colcha feita pela vovó e que todo mundo já viu e transformá-la numa bela cortina para uma porta ou janela. Ficam lindas, charmosas e decoram sua casa de uma forma muito legal!


Ou se preferir, junte várias toalhinhas formando um lindo caminho de mesa como este.

imagens - Pinterest

quarta-feira, 6 de junho de 2018

MATERIAIS NÃO RECICLÁVEIS





A lista dos materiais que não podem ser ou não devem ser reciclados é longa. Como por exemplo:


a) VIDROS temperados de janelas, lâmpadas (de todos os tipos), espelhos ,boxe de banheiros ou de carros, ampolas de remédios (devido a facilidade de contaminação).


b) CERÂMICAS (pisos e azulejos) e LOUÇAS (pratos, xícaras e pires, pirex), porque as indústrias não se mostram interessadas comercialmente na reciclagem. Na reciclagem artística alguns itens desta lista são reaproveitados integralmente ou em partes, podendo ser pintados para servir de vasos ou outros ornamentos caseiros, ou como parte da decoração de caixas de MDF e quadros.


c) ACRÍLICOS, BOXES TEMPERADOS, LENTES DE ÓCULOS e TUBO DE TV -  não podem ser aproveitados.

d) PAPÉIS do tipo: celofane, carbono, higiênico, guardanapos e papel toalha usados, laminados amassados e plastificados também não devem ser reaproveitados. Mas limpos colaboram, e muito, dando um efeito diferente por causa de suas texturas.

e) FRALDAS DESCARTÁVEIS, ETIQUETAS E ADESIVOS, FITA CREPE, A CAMADA INTERNA DOS SACOS DE CIMENTO não devem ser aproveitadas, porém, a camada de fora deve ser aproveitada seja na papietagem ou para dar mais resistência á peça.


f) FILMES FOTOGRÁFICOS, exames radiográficos e devem ser aproveitados, desde que muito bem limpos com alvejantes. Fotos antigas e amareladas pelo tempo ficam charmosas em quadrinhos ou caixas decoradas ao estilo víntage.


g) LATAS DE INSETICIDAS, SOLVENTES, AEROSSÓIS E VERNIZES, CLIPES, GRAMPOS  E AS ESPONJAS DE AÇO enferrujados não devem ser aproveitados. Muita gente joga fora as latas de tinta. Mas elas também podem ser reaproveitadas quando bem limpas.

h) Dentro dos itens de plásticos, somente os potes moles de iogurte não devem ser utilizados. Todos os demais devem ser reaproveitados.

i) ESPONJA DE LIMPEZA doméstica, ESPUMA VINÍLICA ACETINADA (eva), EMBRULHO DE SALGADINHO e de BALAS não devem ser aproveitados. Porém, rolhas de cortiça (de todos os tipos) devem ser limpas e reaproveitadas.

j) ISOPOR (de todas as espessuras) é altamente reciclável, fácil de limpar e bem aceito na reciclagem artística. Na reciclagem industrial, devido ao baixo retorno financeiro, não há interesse.

k) PILHAS, LÂMPADAS FLUORESCENTES.  BATERIAS E PRODUTOS ELETRÔNICOS


não devem ser reaproveitadas, pois os materiais de seu interior pode contaminar o ambiente (solo e água). Por isso, não devem ser reaproveitado, nem devem ser colocado junto com o lixo comum. Existem locais apropriados para este descarte.


AJUDE A VIVERMOS UM MUNDO MELHOR, RECICLE.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

COMO RECICLAR?


Quando falamos em reciclagem, falamos em primeiro lugar da separação dos “lixos”, começando por aqueles que produzimos dentro da casa de nossas casas. Para isso, basta colocarmos estes tipos de materiais separados em sacos diferentes. Por fim, cabe a nós, colocarmos o material para fora de casa com a devida especificação caso não haja caixas de lixo seletivo por perto. Para isso, basta escrever um papel ou no próprio saco o nome do que está dentro. Não é um trabalho muito grande, não é mesmo?

Símbolos universal da reciclagem

Dessa maneira, os materiais orgânicos (restos de alimentos, cascas de frutas, etc) podem ser transformados em adubo para jardins, hortas e plantações de alimento em geral. E não podem estar junto com os demais porque se deterioram com facilidade e o risco de contaminação é grande.


Muitas campanhas educativas têm despertado a atenção para o problema do lixo nas grandes cidades. Cada vez mais, os centros urbanos, com grande crescimento populacional, têm encontrado dificuldades em conseguir locais para instalarem depósitos de lixo. Portanto, a reciclagem apresenta-se como uma solução economicamente viável, além de ser ambientalmente correta.

Nas escolas, os alunos são orientados a separarem o lixo em suas residências. Já é comum nos grandes condomínios a separação seletiva do lixo. Porém, nas grandes cidades, embora haja materiais de coleta suficientes, a população ainda faz pouco uso deles para o descarte do lixo produzido nas residências.

Quando a população tiver plenamente consciente de que boa parte do lixo pode ser reaproveitado e fizer o descarte seletivo, em breve espaço de tempo estaremos vivendo num mundo mais limpo, mais desenvolvido e mais sustentável.

PARA QUE SERVE ESSE LIXO?



lixo orgânico é utilizado na fabricação de adubo orgânico pelas usinas de compostagem. Seu uso é importante para a agricultura, nos jardins caseiros e em vasos.

  
Papéis e papelões podem e devem ser reaproveitados na produção de sacolas e peças decorativas para a casa, lojas e cidade, além produtos para a venda.

Os vidros (azeitonas, milho, requeijão, geleias, garrafas, frascos de medicamentos) podem ser reutilizados em objetos decorativos para uso próprio ou revenda. Cacos de vidro também podem ser reaproveitados depois de derretidos para a confecção de novas embalagens.


Os metais como latas de alumínio, latas de aço, pregos, tampas, tubos de pasta, cobre, alumínio podem ser derretidos e confeccionados novos instrumentos e ferramentas.


Os plásticos (potes de plástico, garrafas PET, sacos plásticos, sacolas de supermercado e demais embalagens), assim como os vidros, são derretidos e novas peças são confeccionadas ou serem reaproveitados do jeito que estão.


Quanto às embalagens de longa vida (de leite, de tomate, de sucos) podem e devem ser reaproveitadas em objetos decorativos ou utilitários (como caixas), por serem bastante resistentes.



SEPARE SEU LIXO OU RECICLE-O

quinta-feira, 17 de maio de 2018

POR QUE RECICLAR?

Para reciclar é preciso que os materiais sejam separados em categorias: materiais orgânicos metais, plásticos, vidros e papéis. Todos estes de “lixos” são reaproveitados.


O alumínio encontrado nas latinhas de refrigerante e de cerveja, por exemplo, é um tipo de material que possui quase 100% de reaproveitamento. As industrias derretem esse material e produzem novas embalagens para produtos consumíveis ou para as bebidas. Igualmente ocorre com os plásticos, latas e vidros.


Observem as imagens abaixo:


Esta montanha de sucata de metais como ferro, aço 
e outros podem ser transformados nisto:

 

Quantas coisas!

 
  E tem muito mais.

Os outros metais, como o ferro por exemplo, são derretidos e com eles as indústrias fazem vigas e cilindros usados na construção civil, em novas ferramentas e no fabrico de materiais alternativos de alta durabilidade.


COMO FUNCIONA A INDÚSTRIA EXTRATIVISTA

Imagine uma região parecida com esta. Repleta de arvores, muitas plantas nativas e ar puro. Aí chegam as industrias extrativas para explorar as riquezas encontradas no solo e subsolo.


Chegam as máquinas e retiram da terra o que ela tem de
 mais precioso: os metais. 


E em pouco tempo, essa região fica 
assim: sulcada, seca e pobre.


Essa é a importância principal da reciclagem dos materiais retirados da terra: evitar a degradação do solo e subsolo nosso planeta. Uma preocupação que não é só dos brasileiros, mas do mundo todo.


RECICLAGEM NA INDÚSTRIA

As indústrias estão procurando a reciclagem porque os benefícios são muitos e variados. Os principais são:


1- Os metais para serem usados precisam ser retirados do solo pelas indústrias extrativistas. E para esta extração é necessário que se cavem galerias subterrâneas que tornam o subsolo frágil havendo, em alguns momentos (chuvas, por exemplo), a acomodação do solo e causando os desabamentos. 

O custo do material metálico é muito alto para a indústria siderúrgica por que paga pela matéria-prima e ainda precisa derreter as rochas em temperaturas altíssimas, separar o metal de outras substâncias e fazer chapas metálicas que serão vendidas posteriormente a indústrias específicas.

Cabe a cada indústria específica (a do ferro, por exemplo), o fabrico de peças, ferramentas, vigas, varões etc usadas na construção civil ou na indústria automobilística, no fabrico de motores e eixos. A venda destes produtos fica mais encarecidas ainda. E assim por diante. Ao consumidor final cabe pagar o preço mais alto de toda esta cadeia produtiva.

Se devolvermos para a indústria o que já não nos serve como consumidores finais, pulamos a fase extrativista, as indústrias da cadeia produtiva gastam menos e o produto final fica mais em conta para todos. Sem contar que, sem a indústria extrativa a todo vapor, pode ajudar a reparar os danos causados ao solo e subsolo para que novos acidentes não ocorram.


2- Outro benefício da reciclagem é a produção de novos empregos que vem surgindo nas grandes cidades. Alguns desses empregos são formalizados, mas uma parte ainda maior, é uso informal dessa fonte de trabalho. Ainda ajuda as pessoas mais carentes a se manterem e manterem suas famílias. Como exemplo, cito as Cooperativas de Catadores de Papel e Alumínio.


3- Com a reciclagem viveremos num mundo melhor e com menos contaminação pelo lixo produzido. Nossa saúde e o planeta agradecem.

O mesmo acontece com vidros, borrachas e materiais plásticos. Esses são derretidos e refeitos em forma de novos objetos. E se queremos um mundo melhor, por que não colaborarmos com a reciclagem desses materiais?

Se caso ainda tenham dúvida quanto a reciclagem, confira a tabela abaixo:

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO DOS MATERIAIS NA NATUREZA
Jornal ...........................................................................................
2 a 4 semanas
Embalagens de papel.......................
3 meses
Casca de frutas e guardanapos de papel ..................................
2 anos
Chicletes ......................................................................................
5 anos
Latas de aço ................................................................................
10 anos
Nylon.............................................................................................
30 a 40 anos
Embalagens de leite longa vida ................................................
Até de 100 anos
Embalagens Pet ..........................................................................
Mais de 100 anos
Latas de alumínio, tampa de garrafas e pilhas ........................
De 100 a 500 anos
Alumínio ......................................................................................
200 a 500 anos
Metais e embalagens de plástico (embalagens e equipamentos) ............................................................................

450 anos
Esponjas, garrafas e potes de vidro, louças, luvas de borracha, cerâmica vitrificada,
Tempo indeterminado



RECICLAGEM ARTÍSTICA

Chamamos de reciclagem artística quando entram a criatividade, imaginação, originalidade, planejamento, técnica de produção e o acabamento de uma peça, cujo material foi reciclado. O objetivo desses trabalhos é a da decoração dos ambientes de uso próprio, para presentear ou vender no varejo.

Neste tipo de reciclagem muitos materiais podem ser usados: papel, papelões de todas as gramaturas, tecidos grossos ou finos, rendas, fitas, tintas, flores e folhas naturais ou artificiais, isopor, latas, vidros, plásticos também podem ser usados, assim como vários tipos de grãos e sementes, cascas de ovos e de frutas já secas, pedras e tudo o mais que se queira usar.

Sabem do que foi feita esta bela mesa de centro? 


Feito com capricho e com um bom acabamento, ninguém diz que é reciclado. Com relação ao preço de custo para a confecção é bem baixo (o mínimo possível) o que se contrapõe ao artesanato, onde se deve incluir o custo todos os materiais. A resposta feita na legenda da imagem acima é: de papelão e jornais velhos.

Vejam outros trabalhos reciclados:

Castiçal feito com latinhas de refrigerantes ou de cerveja.

Alguém advinha do que foram feitos estes vasos?  Se disseram 
que são de porcelana erraram. São feitos de jornal ou
 de folha de revistas. Impecáveis, não são?

E basta procurar um pouco para se ter inúmeras ideias de como reciclar. Querem aprender a reciclar? O Youtube mostra passo a passo como fazer tudo o que você desejar.

Quanto a revenda destes produtos reciclados também é bem mais em conta para o consumidor porque o preço inclui apenas a mão-de-obra e alguns poucos materiais. Ao contrário das peças de artesanato, que além da mão-de-obra estão inclusos os materiais. Para quem revende, os produtos reciclados dão um bom lucro, já que os custos para a confecção são baixíssimos.

terça-feira, 8 de maio de 2018

ARTESANATO E RECICLAGEM

Muitas pessoas confundem artesanato com reciclagem. Ambos se incluem nas artes visuais, podem ser ou não produzidos com fins lucrativos, além de serem bonitos e expressivos. A única diferença está no material a ser usado.

   

No artesanato o material é novo, ou seja, usado pela primeira vez. 


Na reciclagem, o material já foi usado para um determinado fim e é reutilizado de forma criativa, transformando-o em outra coisa. Uma lata de tinta, por exemplo, pode vir a ser transformada numa floreira, num porta-trecos e assim por diante. Na reciclagem não há limites de reaproveitamento de um material, enquanto este permitir essas mudanças. Já no artesanato, o material é usado uma única vez.

A reciclagem surgiu da tomada de consciência de o nosso planeta está precisando de ajuda e de proteção, porque ele está sendo sufocado e contaminado pela enorme quantidade de lixo que produzimos diariamente.

Triste, não é mesmo?

Essa tomada consciência vem desde a década de 1980, quando surgiram as embalagens descartáveis que, embora práticas, aumentaram assustadoramente a produção do lixo em todos os países. E o seu descarte passou a se tornar um problema para os governos. Preocupados em encontrar lugar apropriado e descarte seguro para esse lixo, os governos encomendaram uma série de pesquisas. A conclusão dessas pesquisas foi a de que alguns componentes dessas embalagens levavam séculos para se decomporem na natureza, como por exemplo, os objetos feitos de plástico. Concluíram também que a demora nessa decomposição contaminava o solo e o subsolo e, consequentemente afetaria a água potável e a produção de alimentos. Concluíram também que, continuando a produzir uma quantidade indiscriminada de lixo, em menos de um século estaríamos mergulhados em um mar de lixo tão grande e extenso, que não haveria mais espaço para os humanos.

Alguém gosta de ver isto?

O fato é que o acúmulo de lixo colocado a céu aberto é prejudicial para todos. O chorume (líquido escuro e viscoso que sai do lixo em decomposição) é insuportável. Além do mau odor que exala, é altamente poluente do ar. Infiltrado na terra, contamina o solo e o lençol freático (veios de água que caminham sob o solo e vão formar os rios) e os próprios rios.  Além do que, é altamente nociva à saúde pela proliferação de insetos, roedores e aracnídeos (aranhas e escorpiões), que carregam para dentro de nossas inúmeros vírus e bactérias dando origem a uma série de doenças que podem levar as pessoas a óbito.

Um amplo programa de conscientização da população e de informação sobre o assunto e seus perigos foram feitas pelos governos, alinhando o crescimento econômico com a proteção ao ambiente. A mídia também tem feito a sua parte, lançando campanhas sobre a importância da coleta seletiva, ou seja, da separação do lixo. Todos estes materiais podem ser reciclados.



Símbolo Internacional da reciclagem