quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A VIDA É ASSIM...

Basta chegar a outubro ou novembro que não vemos a hora de que o ano termine e logo comece o outro. Ao mesmo tempo, começamos a nos preparar para essa mudança. E quando chega dezembro, começamos a nos livrar das velharias acumuladas seja na casa onde moramos ou na habitação interior do nosso eu.

Planos e promessas são feitos.  Externamos nossos votos e desejos sinceros a todos os que nos rodeiam ou a quem, de alguma forma, passou a fazer parte de nossas vidas. Enfim, chega o tão esperado dia. O último do ano. As horas correm como de costume, mas para nós, parecem uma eternidade.

De repente,  fogos de artifícios anunciam que já estamos no ano seguinte. Abraços, cumprimentos, o estourar da champagne. No coração de todos há os desejos de "PAZ e AMOR". Ainda assim, eufóricos e emocionados, nem percebemos o tal segundo tão aguardado. O mágico momento em que tudo será resolvido.

E o dia seguinte surge, com o sol amanhecendo como de costume. Despertamos com ele, trazendo no coração os sentimentos daquele instante de magia e emoção. E a medida em que as horas passam e os dias se sucedem, vamos tomando consciência de que nada mudou. Continuamos escravos da rotina, do trabalho, do trânsito, do tempo.

Nem mesmo nós mudamos. Cadê os projetos e planos? Ficam suspensos até a próxima passagem de ano. Quem sabe um dia tenhamos  a coragem de pô-los em prática. Quem sabe? 

Mas, ainda resta a esperança e, portanto:





2 comentários:

  1. Muito obrigada pelo carinhoso comentário!!Também lhe desejo um excelente 2013, repleto de realizações.
    Beijos.

    SoBijoux

    ResponderExcluir
  2. Esperança.


    Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
    Vive uma louca chamada Esperança
    E ela pensa que quando todas as sirenas
    Todas as buzinas
    Todos os reco-recos tocarem
    Atira-se
    E
    — ó delicioso vôo!
    Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
    Outra vez criança...
    E em torno dela indagará o povo:
    — Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
    E ela lhes dirá
    (É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
    Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
    — O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...


    Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética", Editora Globo - São Paulo, 1998, pág. 118.
    http://franknroll.blogspot.com.br/

    Feliz 2013 pra você!

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELA VISITA.

Espero que tenha encontrado o que precisava, tenha gostado do que encontrou e que volte muitas outras vezes. Ficarei muito feliz se você deixar um recadinho para mim.